MEC anuncia protocolo para volta às aulas em institutos federais

Recomendações podem ser seguidas também pelas redes estaduais e municipais de ensino

Apesar de estar direcionado às instituições federais de ensino, o protocolo pode ser aplicado também pelas redes estaduais e municipais de ensino

O Ministério da Educação anunciou um Protocolo de Biossegurança, que traz recomendações às instituições federais de ensino que planejam o retorno presencial às aulas. O documento segue as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS), Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e do Ministério da Saúde.

Apesar de estar direcionado às instituições federais de ensino, o protocolo pode ser aplicado também pelas redes estaduais e municipais de ensino. “Nós estamos, neste documento, trazendo diretrizes para a volta às aulas, distanciamento social seletivo, por exemplo. Nós entendemos que os alunos precisam voltar as aulas o quanto antes. Estamos criando uma geração de crianças e jovens com déficits de aprendizados. Nós e o mundo todo estamos enfrentando essa situação”, disse o secretário-executivo do MEC.

O protocolo, que visa amenizar riscos e garantir a segurança de toda a comunidade escolar, sugere, por exemplo, medidas protetivas individuais e coletivas dentro da sala de aula e em áreas comuns. Define também o que será feito de forma presencial e o que será complementado à distância; e traz critérios para uso do transporte coletivo.

“Nós aqui estamos lançando diretrizes gerais, que podem apoiar a essas redes, eventualmente com uma ou outra mudança que eles queiram implementar, ou aquelas que ainda estão em definição. Esse documento faz parte de um conjunto de ações do Ministério da Educação para a volta às aulas”, afirmou o secretário-executivo.

O documento está disponível no site do Ministério da Educação.

Algumas recomendações realizadas pelo protocolo de biossegurança para retorno das atividades nas instituições federais de ensino

– MEDIDAS COLETIVAS

Manter, sempre que possível, portas e janelas abertas para ventilação do ambiente; organizar as equipes para trabalhar de forma escalonada, com medida de distanciamento social; manter, sempre que possível, portas e janelas abertas para ventilação do ambiente; priorizar o uso de Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) para a realização de reuniões e eventos à distância. Se necessário o encontro presencial, optar por ambientes bem ventilados.

– MEDIDAS INDIVIDUAIS

Utilizar máscaras, conforme orientação da autoridade sanitária, de forma a cobrir a boca e o nariz; seguir as regras de etiqueta respiratória para proteção, em casos de tosse e espirros; Lavar as mãos com água e sabão ou higienizar com álcool 70%; e evitar cumprimentar com aperto de mãos, beijos ou abraços.

– MEDIDAS PARA CENÁRIOS DE PRÁTICA (SAÚDE, ENGENHARIA, BIOLOGIA, ETC)

Verificar temperatura antes do início das atividades; utilizar máscaras e EPIs, obrigatoriamente, de acordo com a especificidade da atividade; manter-se em ambientes ventilados; manter o distanciamento de um metro e meio; e evitar o compartilhamento de equipamentos e ferramentas.

– MEDIDAS PARA ÁREAS COMUNS (ESTACIONAMENTOS, PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO, BIBLIOTECA, ETC)

Utilizar máscaras; disponibilizar frascos com álcool em gel 70%; Aferir a temperatura no acesso às áreas comuns; Garantir o distanciamento social, respeitando a distância mínima de 1,5m (um metro e meio); e manter os ambientes ventilados (janelas e portas abertas).

Com informações do MEC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *