CPTM treina cerca de 60 maquinistas para operar trem que vai até Aeroporto de Guarulhos

Primeira composição da série 2500 começou a circular pela Linha 13-Jade em 3 de fevereiro; outras sete estão em fase de teste

1º trem da Linha 13-Jade, que liga a capital ao Aeroporto de Guarulhos, tem espaço para bagagens

entrada em operação nesta segunda-feira (3) do primeiro trem da série 2500 finaliza um ciclo de quase cinco meses de transporte, rigorosos testes e treinamento de maquinistas para que a composição circule até o Aeroporto de Guarulhos, atendendo a Linha 13-Jade, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), com todas as garantias de segurança e conforto aos passageiros.

“Com a entrega desse trem, damos início à formação da frota que atenderá com exclusividade a Linha 13 e, sem dúvida, proporcionará mais conforto aos passageiros que estarão com bagagem, a caminho do aeroporto”, salienta Pedro Moro, presidente da CPTM.

Padrão

O primeiro dos oito trens fabricados pela chinesa Temoinsa-Sifang chegou ao Porto de Santos em 5 de setembro de 2019, depois mais de dois meses de trajeto de navio. De lá, a composição seguiu para o pátio de Presidente Altino, para que fossem feitos todos os testes de qualidade necessários, além da pintura e outras medidas para deixá-lo no padrão da CPTM.

Foram realizados testes nos sistemas elétricos, mecânicos e de sinalização, que complementam as avaliações feitas na fábrica chinesa. Os principais diferenciais da frota 2500 são o bagageiro para malas pequenas localizado acima dos assentos e o espaço específico para malas grandes. Esses itens garantirão o conforto na viagem até o Aeroporto Internacional de Guarulhos.

Equipados com tecnologia de ponta, a exemplo das frotas das outras seis linhas da CPTM, os trens têm 170 metros de comprimento, salão contínuo de passageiros (passagem livre entre os carros), monitoramento com câmeras na parte externa e interna, além de serem acessíveis para pessoas com mobilidade reduzida ou deficiência. Eles também dispõem de monitores digitais internos com informações sobre a prestação de serviços e reconhecimento eletrônico automático do maquinista por meio de biometria.

Além do trem que entrou em operação nesta segunda-feira (3), todos os outros sete trens da frota 2500 já estão no Brasil e em testes na oficina de Presidente Altino. Após todos os procedimentos e a certeza de que cada um deles está apto para operar e oferecer o melhor serviço ao passageiro, eles entrarão gradualmente em operação na Linha 13-Jade.

Treinamentos

A primeira turma de maquinistas que fez o treinamento para operar o trem 2500 iniciou sua preparação em dezembro. A equipe entendeu cada detalhe teórico das composições e depois as visualizaram na prática, ainda com o acompanhamento dos instrutores da CRRC.

Os maquinistas ganham uma apostila geral sobre o trem, em que estão inseridos os módulos estudados durante o treinamento: instruções gerais ao passageiro, informação sobre os fabricantes, glossário, descrição da unidade trem, cabine e aparelhos de controle de comando, armários elétricos, sistema TCMS, sinalização de bordo, sistema de vigilância e informação ao passageiro, sistema de ar condicionado, detecção e extinção de incêndio, identificação do operador, reboque do trem, operação do novo trem e restabelecimento de falhas da composição.

Após a aula teórica, a turma conhece o trem 2500 e localiza visualmente os rodeios, escadas de emergência, caixas de tração, mangueiras, ar condicionado e outros itens que podem ser encontrados nas composições. Também são feitos testes práticos de identificação e solução de problemas que podem realmente surgir na operação de um trem.

Maquinistas

A segunda turma de maquinistas iniciou o treinamento em 23 de janeiro e, assim como os alunos formados na primeira turma, esses profissionais replicarão os conhecimentos adquiridos a outras turmas de maquinistas.

“Até este momento, o curso está atendendo as expectativas. As informações que as tecnologias do trem disponibilizam devem nos ajudar a resolver eventuais problemas com muito mais facilidade”, afirma André Luís Coelho Medina, maquinista do DOC3.

Já Nilzete Cerqueira, também maquinista do DOC3, destacou o recurso das câmeras disponíveis no trem como um importante diferencial do modelo 2500. Na cabine, é possível visualizar a parte exterior de diversos ângulos diferentes. “É uma composição muito mais moderna”, completa a maquinista que há um ano opera na Linha 13-Jade. No total, cerca de 60 maquinistas da CPTM farão o treinamento para conduzir o trem 2500.

Por Portal do Governo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *